V-Moraes

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Aquarela

(Composição: Toquinho/Vinicius de Moraes)

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo
Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva
E se faço chover, com dois riscos tenho um guarda-chuva

Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel
num instante imagino uma linda gaivota a voar no céu
Vai voando, contornando a imensa curva Norte e Sul

Vou com ela viajando Havaí, Pequim ou Istambul
Pinto um barco a vela branco navegando,
é tanto céu e mar num beijo azul

Entre as nuvens vem surgindo um lindo avião rosa e grená
Tudo em volta colorindo, com suas luzes a piscar
Basta imaginar e ele está partindo, sereno e lindo
e se a gente quiser ele vai pousar

Numa folha qualquer eu desenho um navio de partida
com alguns bons amigos bebendo de bem com a vida
De uma América a outra consigo passar num segundo
Giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo

Um menino caminha e caminhando chega no muro
e ali logo em frente a esperar pela gente o futuro está
E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar

Não tem tempo nem piedade nem tem hora de chegar
Sem pedir licença muda nossa vida,
depois convida a rir ou chorar

Nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai dar
Vamos todos numa linda passarela
de uma aquarela que um dia enfim
Descolorirá

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo (que descolorirá)
e com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo (que descolorirá)
Giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo (e descolorirá)


O poema "Aquarela" é uma parceria de Vinicius de Moraes e Toquinho, que mais tarde virou música assim como vários outros poemas dos dois artistas (A Bailarina, O Caderno, entre outros...) e relata a infância de todos nós, marcada principalmente pela imaginação e nos passa várias mensagens.

Ele nos faz viajar no tempo e lembra de como conseguíamos criar, se divertir, fantasiar e buscar novas coisas e experiências com a imaginação a partir de dois riscos ou um pingo de tinta no azul de um papel. Transmite de forma metafórica que cada problema que temos somos capazes de superá-los, pois se pensarmos um pouco encontraremos uma solução e tudo se resolverá.

Outro lado crítico do poema é que ele lembra as crianças de que elas nunca devem deixar de sonhar e imaginar enquanto podem e que devem manter essa beleza da infância sempre em seus corações, o que se torna muito significativo nos tempos atuais em que vemos crianças passando fome na rua, sem escolaridade, que não tem amor dos pais, que está roubando, se drogando ou até se prostituindo para tentar conseguir algum dinheiro e esse não é o que iríamos querer para nossas crianças ou para nós mesmos. Logo, vemos que nenhuma criança merece passar por isso, que elas merecem carinho, amor, uma família.

Nas últimas estrofes do poema Vinicius já relata a passagem da infância para a adolescência e para a fase adulta, em que a criança amadurece e começa a encarar seus próprios problemas, a fazer suas escolhas e acaba deixando para trás aquela fantasia, os sonhos e brincadeiras que tinha e que a partir deste ponto o futuro é incerto e algo que muda constantemente, então ele compara a vida com a aquarela no poema, que um dia acabará assim como a aquarela descolorirá.

Assim, vimos que "Aquarela" é um poema feito para todas as idades, que nos marca de várias formas e que com certeza, por mais que o tempo passe, nunca será esquecido,assim como o seus dois grandes autores.

2 comentários: